Arquivo mensal: novembro de 2016


10 RAZÕES PORQUE AS MENTIRAS DO PSICOPATA PARECEM TÃO CONFIÁVEIS

3

Quando finalmente entendemos que quase tudo que o psicopata nos contou é mentira, ficamos chocados. Como é que alguém consegue mentir tão fluentemente? E por que caímos nessa?

Eis 10 razões porque as mentiras que os psicopatas contam parecem tão confiáveis:

  1. Os psicopatas lhe dizem quão honestos eles são

Logo de início, os psicopatas lhe dizem o quanto valorizam a honestidade, que a verdade é o fundamento de todos os relacionamentos. Seu objetivo é convencer você de sua honestidade, para quando você se defrontar com as mentiras deles, você simplesmente não as veja.

  1. Psicopatas mentem olhando você nos olhos

Alguns peritos dizem que quando as pessoas olham para cima e para a direita enquanto falam, é sinal de que estão mentindo. Outros peritos discordam. Não importa, todos nós acreditamos que se alguém consegue nos olhar nos olhos enquanto fala, então está dizendo a verdade. Os psicopatas sabem disso, por isso eles nos olham nos olhos enquanto mentem.

  1. Psicopatas misturam verdade com mentiras

Essa é uma estratégia chave psicopática – misturar verdade com mentiras. Você sabe que algumas coisas que o psicopata diz (e o psicopata sabe que você sabe) é verdade, então você deduz que o resto é verdade. Infelizmente, você está errado.

  1. Tudo é mentira

Uma maneira que detectamos mentiras é perceber alguma mudança. Primeiro, a história era assim, agora é assado. Com um psicopata, porém, não há mudança a perceber, porque ele já começa mentindo e só continua.

  1. O psicopata mente sem reação física alguma

Mentir provoca ansiedade na maioria de nós, e ansiedade causa sintomas físicos. Esses sintomas são o que os polígrafos medem – mudanças na batida cardíaca, pressão sanguínea, respiração e condutividade da pele. Mas como os psicopatas não se incomodam nem um pouco em mentir, eles não ficam ansiosos, portanto não existem mudanças física para observar.

  1. Os psicopatas cobrem suas mentiras com mais mentiras

Quando confrontamos os psicopatas com suas mentiras, eles contam mais mentiras para encobrir as mentiras originais. A maioria de nós jamais seria capaz de manter todas as mentiras organizadas, mas os psicopatas são muito bem dotados nisso – eles se lembram exatamente o que disseram e para quem, e assim eles continuam a história.

  1. “Eu jamais mentiria!”

Quando questionados sobre algo que disseram, os psicopatas costumam declarar com indignação justificada que eles jamais contariam uma mentira. Eles são tão enfáticos nisso e se mostram tão abalados por você ter duvidado deles, que você acaba pedindo desculpas – mesmo embora eles de fato tenham mentido.

  1. Psicopatas mentem com total confiança

É difícil imaginar que alguém tão carismático, charmoso e confiante também seja um completo mentiroso. Eles não demonstram hesitação alguma. Eles parecem mandar você acreditar neles – então você acredita.

  1. As reivindicações são tão ultrajantes que só podem ser verdade

Os psicopatas reivindicam que são soldados de forças especiais, membros da realeza estrangeira, cientistas com doutorado, cristãos renascidos, líderes espirituais e assim por diante. Eles podem forjar ou comprar diplomas e certificados, medalhas e outros documentos para provar suas histórias. Você não consegue imaginar que alguém teria a ousadia de fazer tais reivindicações sem que fossem verdadeiras – então você acredita.

  1. A prática leva à perfeição, e os psicopatas praticam muito

Quanto mais os psicopatas mentem, melhores se tornam na mentira – e tipicamente, os psicopatas mentiram toda a sua vida. Então eles são muito bons no negócio. Infelizmente, a maioria dos seres humanos é péssima detectora de mentiras, portanto o resto de nós simplesmente não tem chance. Os psicopatas mentem e nós não detectamos as mentiras – até que seja tarde demais.

 

De Donna Andersen, traduzido por Júlia Bárány

10 reasons why sociopaths’ lies seem so believable

 


A AUTORIDADE DO PSICOPATA

vintage_peacock_painting_photo_cutouts-r08f0f81b735b4f7fbc08b6781fd6b8c9_x7sai_8byvr_512

O psicopata tem uma imagem de si mesmo inflada, grandiosa, apresenta extrema confiança e clareza em suas convicções, porque não sente medo nem dúvida, e essa autoconfiança e certeza eleva o status do psicopata aos olhos dos outros, conferindo-lhe autoridade.

Ele nunca está errado, são os outros.

Para cada situação em que poderia haver dúvida, como a amiga de sua vítima tentando alertá-la de que algo está errado, ele tem uma convicta explicação: “Essa sua amiga tem inveja de você. Não acredite nela.” “Sua mãe não gosta de mim, por isso ela quer arruinar o nosso casamento.” “Seu pai não sabe o que está de fato acontecendo. Ele já está velho.” “Não dê atenção ao que seu irmão está dizendo, ele tem problemas com a esposa dele.” “Eu sempre sou fiel às minhas mulheres. Você está vendo coisas que não existem. Como você é carente!”

Como costumamos confiar no que as pessoas próximas a nós nos dizem, o psicopata precisa retirar essas referências, para que a única referência seja ele mesmo. Assim é que ele tem o controle da visão de mundo da vítima. Isso é feito com tanta sutileza e disfarce, que a vítima não percebe até que esteja totalmente enredada na teia.

Com essas táticas, o psicopata programou o cérebro da vítima para vincular o comportamento dele a uma imagem bondosa, honesta e confiável, porém falsa, que ele apresentou no início, para conquistar sua vítima. Quando o comportamento e a imagem não batem, o problema não é ele e sim todos os outros, inclusive a vítima, que deve estar vendo coisas. Essa é uma tática poderosa para ir minando a confiança em sua capacidade de percepção, que aos poucos vai enlouquecendo a vítima.

A programação é reforçada repetidamente, o que cria como se fossem sulcos no cérebro da vítima pelos quais a informação flui e que são muito difíceis de modificar. É por isso que é tão difícil sair de um relacionamento com esse tipo de criatura sem graves danos à nossa psique.

O comportamento que a vítima vê combina com alguém desonesto, mentiroso, manipulador, explorador, traidor e cruel. Como conciliar as duas imagens?

A isso se soma ainda a opinião dos outros que só veem a grandiosa imagem do psicopata, sem ao menos desconfiarem de sua falsidade. E é a vítima que é julgada louca, problemática, ciumenta, carente e mentirosa. Seus sentimentos são invalidados pelos outros. Isso leva a uma espécie de paralisia.

Como sair disso?

Sem ajuda de um bom terapeuta, de um verdadeiro amigo, é extremamente difícil, porque consiste em reprogramar o cérebro, revalidar percepções e sentimentos, desfazendo uma teia muito bem tecida pelo abusador.

O primeiro passo é começar a acreditar em si mesma, repetir para si mesma: “Eu não estou louca. Eu não fiz nada de errado.”

Aos poucos, sua visão vai ficando mais clara. Ao entender como essas criaturas funcionam e quais são suas táticas, você vai percebendo a terrível crueldade e falta de humanidade delas, e você se torna capaz de reprogramar seu cérebro, refazer sua vida de forma nunca antes imaginada.

Um incrível futuro aguarda você. Acredite.

Júlia Bárány


Discussão com narcisista, psicopata e afins 1

15079039_1103472313039855_4719949890186396837_n

Raramente há algo a se ganhar da discussão com um narcisista ou psicopata. Tudo será virado do avesso contra você, ele vai projetar em você sua própria desonestidade, acusando você de fazer coisas que na verdade ele é que está fazendo. Seus sentimentos serão desprezados, ridicularizados e minimizados. Se o foco for o mau comportamento dele, imediatamente ele vai acusar você tempestivamente sem fundamento algum, só para você se colocar na defensiva. E toda vez que você tentar se defender dessas acusações, ele vai inflar suas reações como prova de que você está louca e histérica. Mesmo muito tempo depois da discussão, você fica num estado de alerta constante, repassando o incidente na sua cabeça e pensando o que você deveria ter dito. Quanto mais você ficar ocupada nessa dinâmica, tanto mais seu corpo e seu coração ficarão entalados na luta ou fuga, com raiva e na defensiva. Assim não dá para viver. Deixe para lá querer “ganhar” essas discussões. A única vitória da qual você precisa é o seu coração se manter aberto e amoroso. Para encontrar isso, corte contato com esse provocador em série, e perceba que as palavras e a conduta dele nada têm a ver com você.

Tradução por Júlia Bárány de trecho de PsychopathFree.


PORQUE O PSICOPATA DEIXA VOCÊ MALUCA

9934789797519027

 

Por Donna Andersen, tradução Júlia Bárány

Fonte: http://www.lovefraud.com/2016/10/31/9-reasons-why-sociopaths-blow-your-mind/

Quando você finalmente percebe que está lidando com psicopata, você fica totalmente chocada. De um lado, sente alívio ao saber que o problema não é você; algo deveras está errado com ele. Por outro lado, você ainda não consegue conceber, entender, explicar o comportamento dele.

Incompreensível! Eis porque:

  1. Tudo que você acreditou era mentira

Provavelmente você tenha detectado algumas mentiras no meio do caminho, mas o psicopata justificou tudo. Depois você descobriu que o envolvimento todo, a razão toda de ele estar na sua vida é uma total fabricação. Jamais foi envolvimento amoroso, ou compartilhamento de objetivos de vida, ou constituição de uma família. Foi exploração.

  1. O inacreditável sentir-se no direito dele

O psicopata não só explora você e a todos, mas também se sente no direito de fazer isso. Ele quer o que quer, quando o quer e como o quer. Os outros são simples ferramentas para lhe dar o que ele quer. Por quê? Porque na cabeça do psicopata é o que ele merece.

  1. A máscara cai e você não sabe quem está por trás dela

Ele foi tão charmoso, tão prestativo, tão dedicado – e agora acabou. Agora o psicopata ameaça você com desdém, criticando, desprezando, ignorando e maltratando você. Você se pergunta o que foi que aconteceu com a doçura e o cavalheirismo, e se dá conta de que tudo foi uma encenação, um ato para enganchar você. Agora que você deixou de ser útil para o psicopata, ou ele se transferiu para novo alvo, ele não vê mais necessidade de fingir.

  1. A longa trapaça

Você percebe que o psicopata escolheu você como alvo desde o começo. De fato, ele pode ter avaliado você muito antes de ter encontrado uma maneira de se meter na sua vida. Alguns psicopatas são capazes de planejar e calcular bem antes, e depois executar de maneira brilhante seus planos. Você nada mais é para ele do que um objetivo.

  1. Tudo não passou de mero divertimento

Às vezes você não consegue discernir o objetivo do psicopata. Pode ser que ele não tirou nada de você, nem dinheiro, nem sexo, nem moradia, nem ligações profissionais, nada de valor. Então por que ele se deu o trabalho de tantos jogos e manipulação? Não faz sentido! Então você percebe que ele estava apenas de divertindo.

  1. Nada é sagrado

Ele fala de maneira convincente sobre Deus, religião, justiça, espiritualidade, patriotismo, valores familiares, salvação do planeta e outras aspirações, e a conduta dele é completamente oposta a isso tudo. Suas belas palavras não passam de cortina de fumaça, seduzindo você para que confie nele, para que ele possa se aproveitar de você.

  1. Total falta de vergonha, culpa e remorso

O psicopata mente sem perder a pose. Ele enrola as pessoas sem pestanejar. Até se faz de bobo sem se sentir bobo. Simplesmente não tem emoção como vergonha, culpa, e remorso, que são ferramentas para se desenvolver uma consciência. Ele não tem consciência.

  1. Você está sofrendo, e o psicopata simplesmente não se importa

As palavras de amor ou lealdade que outrora você ouviu do psicopata desapareceram. Agora, o psicopata se comporta de forma inacreditavelmente cruel, e depois age como se nada tivesse acontecido. Você está em pedaços, e o psicopata se surpreende com toda essa comoção. Afinal, por que todo esse drama? Ele vai se queixar aos outros e os outros lhe dão razão.

  1. Sua visão de mundo desabou

A sociedade nos diz que somos todos criados iguais, todos têm o lado bom, e deveríamos tratar os outros como queremos ser tratados. Você provavelmente levou a sério essas mensagens e elas se tornaram regras de conduta para você. Mas elas falharam quando o psicopata entrou em sua vida.

Agora você aprendeu do jeito mais duro que essas regras não podem ser aplicadas a todos. Aproximadamente de 12% a 16% da população tem distúrbios e para essas pessoas você precisa de um diferente conjunto de regras, regras destinadas a proteger você.

Essa é a parte mais difícil no processamento de sua experiência com o psicopata – mudar a sua visão de mundo. A sua compreensão da vida não se aplica a todos que você conhece; algumas pessoas simplesmente não funcionam como o resto de nós. É isso que realmente deixa você maluca, mas também é a sabedoria a ser conquistada por sua experiência.