Meu caso

Regras do jogo (como participar do site com pseudônimo e o que pode e o que não pode postar. Condições quebradas, a pessoa está fora):

Clique no banner ao lado para efetuar seu cadastro. Cadastre seu email e pseudônimo. Posteriormente, entre na tela de usuário, coloque uma imagem de sua escolha

Não coloque nada que possa identificá-lo, como nomes, lugares, datas, e outras circunstâncias específicas da sua vida.

Use linguagem educada e respeitosa. Não serão tolerados xingamentos, declarações ultrajantes nem agressões entre os participantes.

Esse site não é um site de relacionamentos. Se quiser algo assim, procure um site específico para tal.

Os integrantes da equipe também participarão das conversas com pseudônimos. Se precisar falar com um de nós, use o contato fornecido pelo site.
Responder [phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/vendor/twig/twig/lib/Twig/Extension/Core.php on line 1266: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable
Alex_City
Mensagens: 2
Registrado em: 18 Jun 2018, 16:45
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/vendor/twig/twig/lib/Twig/Extension/Core.php on line 1266: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable

Meu caso

Mensagem por Alex_City » 18 Jun 2018, 17:39

Compartilho o meu caso.
Sou homem, boa formação, bem colocado profissionalmente, carreira internacional, ex-militar, uma pessoa firme e decidida.
Descobri o primeiro abusador na figura do meu irmão, fiquei anos enviando dinheiro para ele fazer faculdade e nada dele se formar. Meus pais são pobres, e eu tinha essa coisa dentro de mim de ajudar a minha família. Só perdi dinheiro.
Depois veio a minha ex-esposa, outra inerte na vida, me fez perder muito dinheiro também com os sonhos artísticos tolos dela, 8 anos juntos e nada de filhos. Finalmente ela decidiu me trair de forma espetacular, e foi espetacularmente chutada pra fora da minha vida.

E não importa quão duro você seja, depois de 8 anos de total fidelidade e já perto dos quarenta fica aquela sensação de fracasso na boca. O filho é o seu legado, sua continuidade, e eu não tinha nenhum.

Como toda pessoa que se vê solteira, me cuidei, malhei, me amei. Apareceram várias mulheres interessantes, mas nenhuma me dava o click. Umas eu achava lentas demais, outras afobadas demais, e assim ia. Não sou de me envolver por envolver, tinha que ser aquela.

E sim, foi aquela. Aquela que Satanás enviou. Ela me adicionou no Facebook e logo tratou de tagarelar comigo. Era uma mulher interessante, interessante demais. Demonstrava cultura e charme sem limites. Aí começou aquela história familiar complexa, o pai era muito rico, mas ela era filha de uma mulher casada que se recusou a terminar o casamento, então foi criada por dois pais. Foi muita amada e mimada, foi bem orientada, e virou uma executiva de sucesso em multinacional. Eu deveria estar com o radar ligado... mas não estava. E para falar a veradade, ela era bem convincente, me olhava nos olhos e de fato tinha maneiras e trejeitos de mulher de origem abastada. Ela era firme, sensual, decidida.

O pai dela não aceitava ela se mudar para a Europa, onde eu trabalho. Ela alegou ter cidadania espanhola e isso me colocou numa zona de conforto, pois ela não dependeria de mim para nada. Ela sabia muito do meu antigo relacionamento, ela sabia todos os fracos, tudo o que queria, e sempre me falava os meus sonhos. Eu me apaixonei como nunca... Passamos a nos falar e a voz dela era divina, então passamos a nos olhar pela camera. Eu fiquei louco de desejo, ardia todas as noites, nunca tinha sentido nada igual (e olha, namorei 8 mulheres antes). Falamos sobre filhos, falamos sobre o futuro, e tudo era lindo. Ela pediu demissão do emprego dela, estava pronta para vir, só cumprindo aviso prévio. Viria em Março.

Eu não aguentei esperar e peguei um avião no Carnaval para ir ver ela. Tivemos que nos esconder do pai dela. Bem, não vou dar detalhes, acho que aqui todos entendem o que é a sexualidade de um psicopata. É a única memória boa. Voltei para a Europa e ela saiu do emprego, então os problemas começaram. A cidadania espanhola não iria sair por que o pai dela ainda tinha processos contra a mãe. Paguei consultas de advogados no Brasil e na Europa, até que finalmente decidi me casar com ela quando anunciou a gravidez. Ela começou a alterar o comportamento, começou a me isolar dos meus amigos e a tomar todo meu tempo. Brigou comigo até para que eu parasse de trabalhar para atender ela. Minha performance caiu. Ela alegava ser os hormônios da gravidez. Com o tempo comecei a reclamar que ela não era razoável e que ela não tinha empatia.

Um dia ela me pediu para parar de falar com a minha mãe. Eu disse que não. Ela ficou com muita raiva, passou mal e parou no hospital. Os primos e amigos dela vieram me escrever via facebook, o pai dela tomou o celular dela para me escrever e ameaçar, enfim... só pressão. Mas foi lindo como ignorei todas essas pessoas, falei para não se meterem. Ela sacou o dinheiro com o cartão que dei pra ela e pagou as contas. Eu também já estava responsável pelas contas dela no Brasil, pois sou homem de assumir a mãe do meu filho. Alguns dias depois o pai rico dela deu jóias para ela, eu estranhei, mas não questionei.

Ela veio para a Europa e trouxe a certidão de casamento dela averbada com a SEPARAÇÃO, eu não sabia, mas estudei e descobri que seria necessário transformar em DIVÓRCIO. Não conseguimos nos casar. Fiquei muito frustrado e com medo de não conseguir cuidar da minha mulher grávida. Eu precisei viajar a trabalho e perguntei para ela se ela não poderia ficar duas noites sozinhas, por que economicamente não valeria a pena levá-la comigo. Ela enlouqueceu, quebrou minhas coisas e me ameaçou com tesoura. Eu tive que sair correndo de casa. Voltei no dia seguinte e passei 14 horas dando esporro na mulher. Eu concluí que ela tinha transtorno bipolar ou algum outro transtorno, e que o tratamento psicológico era urgente.

Ela voltou ao Brasil e disse que estava se tratando com a Dra. Lilian. Poucos dias depois nós discutimos, e mencionei a psicóloga. Ela me disse para não me intrometer, por que a psicóloga já tinha concluído que eu estava despreparado para ser pai, que só fazia coisas erradas. Enfim, que profissional fala isso? Liguei na clínica onde ela faz pre-natal para conversar com a Dra. Lilian. Bem, não existia doutora nenhuma. Então peguei os perfis dos primos, dos amigos... Tudo falso... tudo... E o pai dela bravo? Um que inclusive escutei berrar atrás numa das ligações? Era o marido dela... Ela é casada, fez a separação mas nunca concluíram o divórcio. Era o hospedeiro do parasita. Esse homem deve ser quebrado até na alma, por que postamos fotos juntos pela Europa, mandei flores várias vezes, fiz várias declarações públicas de amor - enfim, fui um idiota, mas esse marido, Deus que o perdoe. Ela mora na casa que ele paga... mas ele não mora, e não possuem filhos. Ela alegou que o "ex" era infértil numa das misturas de verdade/ficção. Deve ser verdade, pois estão juntos há 14 anos.

Pesquisei mais e também nunca foi executiva de sucesso, não como ela falava.

Enfim, foi duro pra mim. Mas saibam que resisti bravamente essa psicopata e bati de volta (psicologicamente falando), ah se bati! Ela achou que iria me destruir psicologicamente com o quente/frio que fazem, se ferrou. A única defesa dela era a gravidez, por que eu me preocupava demais com o bebê. Eu não dei bola para a maior parte das demandas absurdas dela também. Mas perdi dinheiro... lembram do anel? Pois é, ela sacou o dinheiro para supostamente pagar o hospital, mas não foi... É triste saber que mesmo sendo resistente eu sofri... sofri muito, pois sou uma pessoa normal, tenho empatia, tenho amor sincero, tenho sonhos. E ela não tem nada, passou uma raiva lá na hora e não sentiu mais nada, não possui remorso, nem culpa.

Parei de me comunicar com ela totalmente, disse para ela ficar com o marido dela, e que pai é quem cria, pois o "pai" dela sempre gritava que iria registrar o talvez meu filho no nome dele. Isso eu fiz para despistar, pois li sobre filhos de psicopatas e não fiquei feliz. Bem, tudo isso aconteceu em 2018, no primeiro semestre, ainda estou resolvendo as coisas. Eu tenho perguntas que quero colocar no fórum, pois elas são importantes para guiar em como agir.

Ainda não sei bem como agir, mas o plano é investigar a fundo essa pessoa (detetive particular) e acompanhar a data de nascimento do bebê. Ela está de fato grávida, nem ela iria conseguir tamanha façanha de fingir uma gravidez comigo na clínica de ultrassom que eu escolhi aqui na Europa. Há fatos que dizem que o bebê é meu, há fatos que dizem que o bebê poderia já ter 8 semanas quando me relacionei com ela. Depois de ler muito sobre psicopatas entendo que tudo é possível. O investigador vai acompanhar a data de nascimento, se for muitas semanas fora da data que eu calculei então saberei que não é problema meu, lamento pela criança, mas ela não será minha nesse caso. Isso é possível por que passei datas específicas com ela. Se eu desconfiar que é meu eu vou pedir DNA e ver o que posso fazer.

E eu? Eu ainda não sei. Parte de mim ficou fria, meio psicopata também. Até no meu modo de relatar eu sinto a minha frieza. Eu já era um pouco frio antes, mas estou bem pior. Já decidi não colocar mulher nenhuma na minha vida até eu resolver esse imbróglio todo. Eu vou precisar de terapia sim, eu nem sei se sou boa pessoa mais. Eu desconfio até de mim agora. Eu não perdi muito dinheiro e nem fui tão prejudicado assim, mas como eu li aqui, é uma dor diferente, aguda, profunda. Quando um relacionamento não dá certo, bem, não deu certo, mas você vira amigo da pessoa, torce por ela, e fica feliz em ver ela bem, ela se dando bem com outro homem. Eu sou amigo de todas as minhas ex, umas terminaram comigo, outras eu terminei, e seguimos com as vidas torcendo um para o outro. Mas essa psicopata não é nada, é uma ilusão, é um eco dos desejos da minha mente. Eu dei minha alma e meu coração para o nada, para o vazio. Amei uma construção do meu ideal. Antes fosse um engano, me sentiria um idiota e batia a bola pra frente, mas é muito pior que isso... Enfim. Se quiserem perguntar mais, fiquem à vontade. Ocorreram outros detalhes nefastos que não contei, mas não é preciso mais.

Micaela Hon
Mensagens: 28
Registrado em: 09 Jun 2017, 15:45
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/vendor/twig/twig/lib/Twig/Extension/Core.php on line 1266: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable

Re: Meu caso

Mensagem por Micaela Hon » 25 Ago 2018, 12:43

Alex, muito agradecida por seu compartilhamento. isso vai ajudar outras pessoas.
Os psicopatas agem exatamente como você descreve, e de tanto sofrimento a vítima se sente insensível. Mas isso passa, depois que você processar todo esse horror e se livrar da tristeza.

Responder
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/vendor/twig/twig/lib/Twig/Extension/Core.php on line 1266: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/vendor/twig/twig/lib/Twig/Extension/Core.php on line 1266: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 0 visitante