MEIAS-MENTIRAS 1


Uma das marcantes características dos psicopatas é a capacidade inigualável de mentir.

Todos nós pregamos mentiras, mas sempre temos algum objetivo específico.

Quando crianças, mentimos para evitar um castigo, para evitar magoar a mãe, por medo de sermos rejeitados diante de uma ação que consideramos má. Pequenos delitos dos quais nos envergonhamos geram pequenas mentiras.

Costumamos mentir para nós mesmos quando não queremos admitir um fato sobre nós que não nos parece adequado. Então montamos uma autoimagem omitindo esse aspecto. Mentimos quando um ente querido está morrendo e queremos nos convencer de que ele vai ficar bom, tentando evitar a inevitável dor da separação definitiva. Mentimos para a criança sobre um fato que ela ainda está incapaz de digerir.

Cada um de nós tem sua lista.

A cada situação se vincula um sentimento: medo, proteção, ilusão, rejeição, vergonha, dor.

Quando dizemos uma mentira que poderia ter sido evitada, sentimos arrependimento, e o impulso premente de reparar o erro. Quando percebemos que a mentira pregada prejudicou alguém, o remorso dói, e procuramos compensar o prejuízo. Uma pessoa normal não consegue colocar a cabeça no travesseiro e dormir em paz se sua consciência pesa.

No processo de amadurecimento vamos desenvolvendo nosso senso moral que não permite deslizes e, quando estes acontecem, sentimos uma necessidade premente de consertar as coisas. Um ser humano livre, portanto responsável, respeitoso e amoroso é um ser humano moral.

Os psicopatas são criaturas para quem mentir é uma diversão, um jogo, um espetáculo fascinante, um recurso de lhes gerar adrenalina. Eles mentem até quando a verdade poderia lhes ser mais vantajosa pelo simples prazer de mentir. Não têm arrependimento, responsabilidade, vergonha, solidariedade. Manejam os fatos de acordo com os seus interesses jamais se importando se estão sintonizados com a verdade. Peso na consciência é algo desconhecido para eles, afinal esse tipo de consciência lhes é inexistente.

Usam e abusam das meias-verdades, justamente para passar a impressão de verdade de algo que afinal das contas é meia-mentira. O primeiro pedaço verdadeiro arrasta atrás de si o falso, e o ingênuo alvo do psicopata não percebe essa engenhosa arrumação, engolindo tudo como verdade.

Uma declaração como: “Sempre pautei minhas atitudes na ética e na verdade” dita de forma enfática e aparentemente sem qualquer sombra de hesitação costumamos tomar como verdadeira, pois não dá para conceber que alguém possa mentir de forma tão descarada. Mas a falta de hesitação provém não de um coração puro e sim da ausência de escrúpulos.

Ética e verdade quando apenas declaradas, sem lastro na atitude, valem alguma coisa?

Ao ouvir a nossa intuição, percebemos a falsidade. O coração verdadeiro sabe. Mas é preciso desanuviar a intuição que foi sendo embotada com manobras bem arquitetadas pelo psicopata.

Um psicopata obriga suas vítimas a constantemente ter que provar a verdade e esse enredamento as faz duvidar de si mesmas. As distorções que ele opera nas mínimas coisas provocam um redemoinho de incertezas na mente de quem preza a verdade. “Eu nunca traí você. Como você pode duvidar de mim?” e você repassa alucinadamente na sua memória todas as provas da traição e começa a duvidar de sua capacidade de discernimento. Ele insiste que você está tendo alucinações por causa de sua carência doentia ou de seu ciúme exacerbado, com o exato propósito de desestabilizar você. Ele pegou emprestado de você um monte de dinheiro com promessas de devolver com juros acima do mercado. No entanto, cobra você por uma dívida ínfima em comparação com tudo que lhe deve, declarando que não deve mais por conta de todos os prejuízos que você lhe causou.

Essa desestabilização faz parte do programa de gradativa destruição de sua vítima.

Além disso, tem ainda a mentira na forma de injúria e difamação. Afinal, ele precisa fazer essa campanha para inverter a situação, ele passando a vítima e a verdadeira vítima – você – transformada em agressor.

A culpa de tudo é sua. Se o relacionamento não deu certo, foi você que não soube mantê-lo. Se os filhos são uns pobres coitados, inseguros, medíocres, foi você que não conseguiu ser boa mãe. Ele, ora, estava trabalhando duro para manter a família, ele, exímio pai que sempre ajudou a cuidar das fraldas e mamadeiras. Você não sabe ser boa mãe, por isso o seu filho é um indisciplinado e revoltado. Não é ele, o pai, que causa isso com sua falta de dedicação e de respeito e principalmente de amor. Pois as crianças sentem quando são amadas. E o psicopata finge que ama, não ama.

Até você se restabelecer e começar a separar o joio do trigo demora, às vezes demora um bom tempo. Mas é preciso iniciar essa viagem, e um dia você acaba atravessando o inferno e saindo para a luz.

Júlia Bárány

“Meia verdade é sempre uma mentira inteira” provérbio chinês

 


Deixe um Comentário

One thought on “MEIAS-MENTIRAS

  • Noborderman

    Ao longo de 40 meses de um relacionamento doentio, acreditei piamente que estive exposto a uma criatura com TPB (borderline). Mas algo não batia com o que aponta o DSM-V. Só me toquei ao perceber que uma das características do border seria a aversão à ideia de abandono. Aí sem querer me aproximei através de um texto da internet, da terminologia: NARCISISTA PERVERSO. Aí?!?!?!
    Bingo. Sim eu sou uma rara exceção do gênero masculino que passou por essa tormenta de se relacionar com uma sociopata/PSICOPATA narcisista.
    Todos os termos em inglês do tipo: hovering, fluying monkeys e etc. Tive contato com esse aprendizado só agora. Devorei oque pude. Descobri este blog, comunidades no face. Um outro espaço fantástico tal como este foi o “livredepsicopatas”. Mas assim como a maioria das vítimas que aqui partilharam eu luto com a dissonância cognitiva. Apesar da lucidez, apesar de ter experimentado todo o script macabro da IDEALIZAÇÃO, desvalorização e descarte. Mesmo assim fico com o pensamento permeado pela criatura. Se a minha primeira vista de borderline estivesse correta? Isto por si só já seria o bastante pra sumir do mapa. Entretanto percebi que o terreno era e é bem mais fétido e profundo. Pelo que pude observar nesse universo dos transtornos de personalidade as comorbidades acabam sendo sobrepostas. A minha ex muito provavelmente tenha traços borderline. Juntei um quebra-cabeça enorme, através e por intermédio do que familiares e a própria pessoa deixou escapar. O pai da mesma foi assassinado quando a mãe dela estava no sétimo mês gestacional. E pelos relatos o componente biológico já pontuado aqui neste blog é um fator preponderante. Falo isto devido o fato do pai da mesma pelos relatos ter sido um PSICOPATA em vida. Outra coisa importante de ser observada é esta questão da EMPATIA inexistente. Isto é gravíssimo. Não me perdoou por ter insistido. Mesmo após tantas mentiras descobertas. Se eu for relatar aqui daria um best-seller com certeza. Estou passando com um psiquiatra devido a queixa base da insônia. Ele soube da minha história de abuso narcisista. Aguardo em lista de espera para iniciar psicoterapia. Espero em Deus que o profissional entenda do assunto. As alternativas que encontrei na internet creio que salvaram a minha vida. Agora é lutar para manter a abstinência e ficar na prevenção da recaída. Procurei também um grupo na linha do twelve-step program, tipo 12 passos do alcoólicos anônimos, adaptado para Codependentes afetivos e tenho frequentado aos domingos. Recordo-me que no final de 2015 eu estava frequentado esse grupo chamado de CODA e acabei recaindo. Até então eu tentava entender a minha Codependência e achava que havia sido tragado por uma linda e fascinante borderline. Obrigado por tudo. Volto a escrever. Lúcido, com dois meses de contato ZERO. Mas sei que este tempo está sendo recorde e muito provavelmente a criatura esteja com outro alvo ou alvos e quando ela se entendiar poderá recorrer a minha garrafa de suprimento na adega dela. E desta feita preciso me preparar pra ser forte e ignorar qualquer tentativa de aproximação. Tudo que relataram aqui já passei. Procurar do nada com comentários que demonstram saudade romântica, pedido de ajuda ou socorro, etc. Fico imaginando o quão maligno teria sido se esta criatura tivesse engravidado. Eu e a prole seríamos meros peões do tabuleiro da mesma. Desejo Foco, fé, esperança, recuperação, LIVRAMENTO, desintoxicação e tudo de bom para os (as) sobreviventes desse inferno na terra. E oro para que a mesma seja aplacada de alguma forma para não provocar mais traumas. Eles (as) vinculam em alvos empáticos. Se perceberem que estão se relacionando com outro narcisista, voltam correndo para algum alvo provedor de outrora. A minha com certeza está novamente no loverbomber o tal bombearmento amoroso. Tudo mentira. Meu senhor, meu Deus. Boa noite e boa semana a todos (@s). Fiquem bem.