POR QUE É TÃO DIFÍCIL CONTINUAR A VIDA DEPOIS DE SAIR DE UM RELACIONAMENTO TÓXICO COM UM PSICOPATA OU NARCISISTA?


por Júlia Bárány

Você sai arrasada e se pergunta como é possível que o psicopata exiba felicidade no novo relacionamento. O que foi que você fez de errado? Por que o relacionamento de vocês não deu certo? Afinal você se esmerou de todos os jeitos possíveis, se dedicou, amou, se doou, e mesmo assim, não deu certo. Você sabe o quanto você entregou seu coração a esse homem.

Você se pergunta se não exagerou nas suas reações, pois o parceiro parece uma boa pessoa e foi você que estragou tudo.

Você se lembra do período cheio de felicidade, do início do relacionamento, quando vocês estarem junto parecia mágico e você sentia ter finalmente encontrado sua alma gêmea.

Agora, sofrendo e se lamentando, você se esquece temporariamente dos tempos tenebrosos, das frustrações, da raiva, das lágrimas e principalmente dos medos. Você se esquece quando o abusador enfiou a faca mortífera da desvalorização no seu coração.

Você foi triturada em sua autoestima até ficar totalmente devastada, ao ponto de não confiar nem na sua memória nem nas suas reações instintivas de autoproteção.

Você se sentiu responsável pelo relacionamento durante o relacionamento e continua se responsabilizando depois, sem perceber que você é que foi e continua sendo a vítima.

Você não leva em conta o quanto você se dedicou ao relacionamento para que ele desse certo. Você não leva em conta a raiva que sentiu com as tentativas frustradas, como se tudo que você fizesse se evaporasse em nada. Quanto mais você tentava, mais era desconsiderada, desrespeitada e ignorada.

Enquanto você se descabelava, o psicopata se divertia com o seu sofrimento.

Ele foi colecionando recursos e mais recursos para explorar você, controlar você e esmagar você.

Você ficou totalmente desnorteada com os maus-tratos intercalados com atenção especial e mimos, totalmente contrastantes.

Você quer voltar ao período de felicidade, você sempre se dá mais uma chance, mas esse período é fugaz e passageiro. Agora à distância, ou mesmo perto, se você caiu na armadilha de aceitá-lo de volta.

O médico desaparece e aparece o monstro, no ciclo interminável de abuso, manipulação e jogo, com insultos, desvalorizações, silêncio, e dissonância cognitiva e felicidade fugaz.

Você sente gratidão por cada momento feliz que vai diminuindo em duração e intensidade, até estar mergulhada totalmente no escuro.

Você está acabada.

Acorde, mulher, esse abusador não é o príncipe encantado que você insiste em manter nas suas lembranças. Isso é uma ilusão fabricada com o único e exclusivo intuito de caçar você. Porque você tinha algo que ele queria, seja sexo, dinheiro, posição social, profissional, uma casa para morar, comida, roupa lavada, uma fachada de respeitabilidade.

Agora ele quer sugar as últimas gotas de energia que você tem, pois é esse o alimento dessas criaturas parasitas.

Acorde, mulher, esse abusador não vale mais um milésimo de segundo de sua vida.

Reestruture sua vida do menos zero em que ela ficou. Sim, eles deixam destroços e perdas, e dívidas, e muita dor. Deixam um rastro de destruição da sua imagem, tentando fazer com que ninguém acredite em você. E quem poderia acreditar que exista tamanha barbaridade num ser que parece exatamente o contrário do que ele de fato é? Eles todos são assim, agem de forma semelhante, as diferenças são de estilo e de personalidade, de nível social e cultural. Na essência são sempre predadores dos seres humanos.

Então comece por acreditar em você mesma. Comece a acreditar em sua luz. Porque as trevas têm medo da luz. Faça sua luz brilhar cada vez mais.

Construa um muro de proteção ao seu redor, um muro de honestidade e integridade.

Procure cicatrizar suas feridas e use essa força para nunca mais cair na lábia de um abusador.

Procure a ajuda de profissionais que entendam pelo que uma vítima de psicopata passa. Não adianta falar com quem não tem ideia disso, pois eles podem retraumatizar você com proposições ocas, tolas, revoltantes como: “esqueça, vai viver sua vida” “é preciso de dois para um relacionamento não dar certo” “você foi boba em cair nisso, agora saia dessa, e deixe de ser boba” “vai ver que você entrou nesse relacionamento por causa de sua carência doentia, vai se tratar ” “você é que foi cega e não viu quem ele era”.

Não dê ouvidos a nada disso! Essas pessoas não sabem! Julgam este relacionamento como outro qualquer entre pessoas normais! O psicopata NÃO É UMA PESSOA NORMAL. Nem sei se é um ser humano. Para mim um ser humano se define como um ser que tem coração, que sente empatia, solidariedade, respeito, responsabilidade e amor.

E quando você tiver atravessado o inferno, do outro lado a espera uma vida plena e feliz que você nem é capaz de imaginar agora. Acredite!

Júlia Bárány

Deixe um Comentário