SÍNDROME DE TRAUMA JUDICIAL


(por Júlia Bárány, baseado em artigo de Donna Andersen)

Você foi traumatizado, e agora precisa enfrentar no tribunal a pessoa que o traumatizou. Seja divórcio, guarda de filhos seja outra questão qualquer, saiba que o objetivo do seu oponente não é só ganhar a causa. O seu oponente irá usar todos os procedimentos legais e o judiciário para esmagar você.

Esse absurdo irracional frita o seu cérebro. Portanto, por cima do abuso original que você sofreu, as ações do seu oponente fazem você sofrer a Síndrome de Trauma Judicial, uma forma de TEPT, ou Transtorno de Estresse Pós-Traumático.

Como você pode se proteger quando é obrigada a enfrentar um manipulador coercivo na corte?

  • Em primeiro lugar, procure um amigo verdadeiro que possa acompanhar você e lhe dar apoio afetivo, emocional, psicológico.
  • Procure ajuda profissional de alguém que entenda o que é um manipulador narcisista, psicopata ou outro transtorno de personalidade. Não faça isso sozinha.
  • Prepare-se para as mais esdrúxulas e infindáveis mentiras. Na grande maioria das vezes, não há como provar que são mentiras.
  • Planeje estratégias que formem uma bolha de proteção ao seu redor.
  • Prepare-se para responder de forma apropriada quando for verbalmente atacada na corte.
  • Mantenha-se mentalmente protegida durante o litígio.
  • Se possível, obtenha um laudo de ter sido abusada e traumatizada.
  • Procure separar questões emocionais das questões legais.
  • Evite mediações “amigáveis” que jamais irão funcionar com um abusador, apenas lhe darão mais subsídios para ele continuar o abuso.
  • Saiba que o abusador aparecerá na corte com a maior serenidade e compostura, enquanto você estará tremendo por dentro e por fora. Ele vai fazer de tudo para transformar você em abusador e ele em vítima.
  • Ele vai fazer de tudo para extorquir o que você ainda tiver, seja dinheiro, posição social, ligações familiares, pois, não se engane, o objetivo dele é destruir você, não só ganhar a causa.

Deixe um Comentário