Arquivo mensal: junho de 2016


7 razões para não entrar em relação sexual com um psicopata 2

Loving affectionate nude heterosexual couple in affectionate sensual kiss. Mid adult Caucasian men in late 30s and young Hispanic woman in early 20s

Por Donna Andersen

Muitas pessoas – tanto homens quanto mulheres – me contaram que sexo com um psicopata é o melhor sexo que jamais tiveram. Foi excitante, selvagem e plenificante. Nunca se sentiram tão desejados.

Bem, existem razões para isso.

Primeiro, tanto psicopatas homens quanto mulheres estão ligados em sexo. Eles anseiam excitação e estímulo. Os altos níveis de testosterona que possuem os impelem agressivamente na busca do sexo.  Eles começam cedo e o fazem com bastante frequência. Eles têm um monte de desejo, um monte de energia e um monte de prática.

Então sexo com um psicopata é algo do outro mundo – pelo menos no início do envolvimento. Mas existem graves desvantagens:

  1. OS PSICOPATAS TRAEM

Eles são promíscuos , que é um dos traços desse transtorno. Começando cedo e com grande frequência, o que eles realmente querem nas suas vidas sexuais é variedade, incluindo uma variedade de parceiros. Não importa o quanto eles possam declarar que mudaram, que você é a pessoa que eles esperaram a vida inteira e que jamais vão precisar olhar para outro parceiro – bem, psicopatas mentem muito, e essa é uma das maiores mentiras deles. Se você quer uma relação monogâmica, você jamais a terá com um psicopata.

  1. OS PSICOPATAS VÃO EMPURRAR SEUS LIMITES

Os psicopatas querem excitação, estímulo e variedade. Ficam entediados com muita facilidade. Portanto, uma vez que a novidade de ter você como parceiro/a se desgastou, ele vão querer dar uma renovada em sua vida sexual, talvez incorrendo em práticas que você não queira. Se você recusar a sugestão deles, entram no jogo de culpabilização: “se você realmente me amasse você o faria”. Eles vão minando seus protestos até que um dia você se vê fazendo coisas que antes considerava degradantes.

  1. OS PSICOPATAS USAM O SEXO PARA MANIPULAR VOCÊ

Você se torna alvo deles porque você tem algo que eles querem, e pode não ser sexo. Talvez você tenha dinheiro, uma bela casa, conexões sociais e profissionais. Os psicopatas sabem que se eles engancharem você sexualmente será mais fácil manipulá-lo/a. Assim eles levam você para a cama, e depois pressionam você para aquilo que eles realmente querem. Isso é especialmente perigoso se você está casado/a com alguém, trabalha na mesma organização ou ocupa uma posição proeminente – tudo isso torna você suscetível a chantagens.

  1. VOCÊ SE VICIA NO RELACIONAMENTO

Os psicopatas sequestram o sistema de vínculos humanos. Vínculos amorosos se estabelecem no início de um envolvimento, quando os psicopatas cumulam você de atenção e sexo. A intimidade sexual inunda o seu corpo com ocitocina, um hormônio e neurotransmissor que é a cola que junta pessoas. Quando mais sexo você tiver, mais você quer o relacionamento. Você se vicia no relacionamento, o que dificulta a saída, mesmo quando você sabe que há algo de errado com a pessoa.

  1. VOCÊ PEGARÁ DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

Os psicopatas são promíscuos. Eles são também descuidados. E eles querem seu estímulo. Tudo isso junto significa que eles não usam proteção. Numa pesquisa com os leitores de Lovefraud, 20% disseram que foram contaminados por doenças transmitidas pelo psicopata. Em alguns casos, os psicopatas sabiam que eram HIV positivos, mas continuaram a praticar sexo desprotegido, intencionalmente infectando múltiplos parceiros.

  1. OS PSICOPATAS PODEM MENTIR SOBRE SUA ORIENTAÇÃO SEXUAL

Alguns psicopatas são hetero, outros homossexuais, e outros nem uma coisa nem outra – e eles praticarão sexo com qualquer um. Na pesquisa de Lovefraud, 18,5% das respostas declararam que seus parceiros psicopatas mentiram quanto a sua orientação sexual. Por quê? Não necessariamente porque eles sejam homo escondidos no armário. Mais provável que eles estejam em busca de variedade, ou você tem algo que eles querem, e eles estão usando sexo como ferramenta para manipular você.

  1. VOCÊ PODE ACABAR COM UMA GRAVIDEZ

Muitos psicopatas – tanto homens quando mulheres – usam gravidez para prender seus parceiros. Ter um filho com um psicopata é um pesadelo. Em primeiro lugar, isso dá ao psicopata uma oportunidade de manipular você pelo resto da sua vida. Em segundo lugar, e mais importante, a psicopatia é transmissível geneticamente. Seu filho pode herdar uma predisposição ao transtorno e ser um psicopata também. Eu sei de muitos pais que tiveram que aceitar que seus filhos têm o transtorno e isso é dolorido demais.

Sexo com um psicopata pode ser excitante no momento, mas pode resultar em consequências graves e interferir drasticamente na sua vida. Se você tem alguma suspeita de que seu novo amor encantador e excitante possa ter o transtorno, não vá para a cama com esta pessoa, e saia do envolvimento o mais rápido que puder.

(traduzido por Júlia Bárány de: http://www.lovefraud.com/2016/06/27/7-reasons-not-to-have-sex-with-a-sociopath/)


Carta Aberta aos Advogados de Sobreviventes de Psicopatas 2

O-Dia-24-janeiro-de-1997-cinismo-no-Tribunal

CARTA ABERTA A ADVOGADOS QUE TÊM CLIENTES ENVOLVIDOS COM PSICOPATAS

 

Prezado Sr. e Sra. Escudeiro

 

Quando um cliente lhe diz que seu oponente é um psicopata, por favor, saiba das ramificações do seu caso legal.

Em primeiro lugar, não desconsidere a afirmação só porque o oponente não matou ninguém. É comum acreditar que todos os psicopatas sejam enlouquecidos assassinos em série. Isso não é verdade – apenas uma pequena porcentagem dos psicopatas comete assassinato. Mas todos os psicopatas são predadores sociais, e vivem de explorar os outros.

Frequentemente é exploração financeira – muitos psicopatas são vigaristas – mas nem sempre. Psicopatas também alvejam pessoas que podem lhes fornecer um lugar para morar, conexões profissionais, sexo, trabalho doméstico ou outros serviços de apoio, filhos, ou uma imagem de respeitabilidade na comunidade enquanto eles vivem vidas duplas. O ponto é que os psicopatas usam intencionalmente a manipulação e o engodo para enganchar seu alvo. Eles continuam a manipulação e o engodo para manter a exploração funcionando, para sangrar o alvo até que não sobre mais nada. Nesse ponto, alguns psicopatas abandonam o alvo, vão embora sem ao menos olhar para trás.

Às vezes, porém, o alvo se torna esperto em relação ao psicopata e quer terminar o envolvimento. Nesse ponto, alguns psicopatas se enfurecem com a possibilidade de perder o controle, e se empenham em esmagar o alvo. Eles não estão interessados em comprometimento ou distribuição igualitária. Eles não querem dar ao alvo o que o alvo tem direito. Eles querem triturar o alvo em pó.

 

O QUE VOCÊ PRECISA ENTENDER SOBRE OS PSICOPATAS

  1. O principal objetivo do psicopata é poder e controle. Tudo que eles querem é ganhar.
  2. Os psicopatas adoram o drama da corte porque isso lhes dá uma oportunidade de ganhar. Eles não consideram a possibilidade de perder. Se eles perdem, eles o consideram um acidente na estrada, e tentam encontrar um jeito de atacar o alvo de novo. Forçar o alvo a incorrer em crescentes despesas legais é considerado um ganho.
  3. Psicopatas mentem. Eles mentem convincentemente. Eles não se incomodam nem um pouco em mentir nos documentos processuais ou no banco da testemunha.
  4. Os psicopatas manipulam outras pessoas para mentir por eles. Essas testemunhas podem não saber que estão mentindo – elas podem simplesmente acreditar em tudo que o psicopata lhes contou, porque os psicopatas são muito convincentes.
  5. Os psicopatas não sentem obrigação alguma em cumprir as ordens da corte ou a lei. Eles só cumprem ordens da corte ou a lei se percebem vantagem nisso. Mas eles são peritos em inventar jeitos de usar a lei para executar o seu objetivo, que é esmagar o seu (advogado) cliente.

 

COMO AS PESSOAS SE TORNAM ALVOS

A maioria de nós acredita que as pessoas são basicamente boas em seu íntimo e todos só querem ser amados. Porque não sabemos que existem exceções a essas crenças – ou seja, psicopatas – temos enormes pontos cegos que esses predadores podem explorar.

Nenhuma pessoa normal se envolve intencionalmente com um psicopata mentiroso e manipulativo. Então quando o seu cliente lhe conta histórias ultrajantes da conduta do psicopata, e também diz que ele nunca sabia dessa conduta, ou que aceitava as explicações do psicopata, seu cliente muito provavelmente está dizendo a verdade.

Como é que esses emaranhados acontecem? Os psicopatas estão sempre buscando pessoas que eles podem usar. Quando encontram alguém por meio de qualquer interação social, rapidamente avaliam se essa pessoa tem algo que eles querem. Se a resposta é sim, eles analisam a pessoa quanto a suas vulnerabilidades. Em seguida eles calculam como explorar as vulnerabilidades da pessoa para conseguir o objetivo deles.

Psicopatas praticam sedução calculada. Se você estiver cuidando de um caso de divórcio, a sedução foi romântica. Se for algum outro tipo de caso, a sedução pode ter envolvido crenças compartilhadas, aspirações ou objetivos. De qualquer forma, no início do envolvimento o alvo é sujeitado a uma maravilhosa lua de mel de admiração e promessas.

Uma vez capturado o alvo, o psicopata começa a exploração, enquanto simultaneamente escalona manipulação para manter o alvo sob controle. Isso pode incluir:

  1. Isolar o alvo de seu sistema de suporte
  2. Abuso emocional, psicológico, verbal, físico, sexual ou financeiro
  3. Gaslighting – fazer o alvo duvidar suas próprias percepções

 

O QUE VOCÊ PRECISA ENTENDER SOBRE O ALVO

  1. Envolvimento com um psicopata é como viver num buraco negro de caos. Seu cliente, o alvo, provavelmente teve todos os aspectos de sua vida rompidos:

– carreira interrompida

– finanças arruinadas

– negligência do lar e da propriedade

– relacionamentos abalados

Quando a ação legal começou, seu cliente já pode ter estado em queda livre por um longo tempo. Ele ou ela pode se sentir esmagado pela magnitude das questões que precisam ser abordadas.

  1. O envolvimento com um psicopata pode causar Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT). Houve uma época em que o TEPT era diagnosticado somente em relação a um único evento traumático que envolvia risco de dano grave ou morte, junto com medo intenso, horror ou desamparo. Uma nova definição identifica um tipo de TEPT que resulta de traumas acumulados e dano prolongado.
  2. TEPT é um dano psiquiátrico (não uma doença mental). TEPT causa mudanças bioquímicas no cérebro e afeta determinadas regiões da anatomia cerebral. Sintomas comuns são pensamentos intrusivos, pesadelos, revivências, dificuldade de se concentrar e exaustão.
  3. O litígio contra o psicopata faz seu cliente re-experienciar o trauma subjacente e engatilha os sintomas do TEPT. Dr. Karin Huffer, no seu livro Unlocking Justice, explica o que acontece:

“Reviver mentalmente o trauma durante procedimentos legais ativa simultaneamente partes do cérebro que apoiam intensas emoções enquanto diminui as funções do sistema nervoso central que controla ação motora, regula excitação fisiológica, e impede a habilidade de comunicação verbal. A memória falha e emoções intrusivas sabotam a concentração na tarefa sendo executada. Os litigantes sentem-se incapazes de reação verbal espontânea e interação necessária em trocas típicas num tribunal. Resulta que o litigante com TEPT pode ser levado a evitar tópicos. Ele literalmente não os ouve. Ele desconecta quando precisa se envolver. E, às vezes, ele claramente está inoperante e incapaz de comunicar seus sintomas e suas necessidades de maneira formal aceita nos tribunais.

  1. Os alvos dos psicopatas foram enganados, traídos e talvez sujeitos a violência. Eles chegam à corte esperando justiça, o que os psicopatas ativamente frustram. Quando é negada a justiça, e os alvos então experimentam uma profunda e prolongada injustiça, seu TEPT assume outra dimensão, que Huffer identifica como “Síndrome de Abuso Legal”.

 

A EXPERIÊNCIA DO SEU CLIENTE

O objetivo desta carta, Sr. e Sra. Escudeiro, é ajudar a entender pelo que seu cliente está passando. Meu objetivo é explicar porque ele ou ela possam ter dificuldades com o processo litigioso, e dificuldades de avançar na vida. O psicopata usou intencionalmente o seu cliente – talvez durante anos – e pode estar intencionalmente tentando destruí-lo agora.

Seu cliente não é irracional, preguiçoso ou obstinado. Seu cliente está tendo uma reação normal a uma profunda traição.

Sinceramente,

Donna Andersen

Autora, Lovefraud.com, e uma ex litigante contra um psicopata

(traduzido e adaptado por Júlia Bárány in http://www.lovefraud.com/2013/04/22/open-letter-lawyers-clients-involved-sociopaths/)


O MACHADO ESQUECE, A ÁRVORE LEMBRA

O MACHADO ESQUECE A ARVORE LEMBRA

CURA DE SÍNDROME DE ESTRESSE PÓS-TRAUMÁTICO

 

Deslocar a vergonha de não perdoar para a pessoa errada é outro abuso

É frequente demais sobreviventes de abuso serem instados a se sentir pessoas terríveis por não “perdoar” o abusador.

  1. Isso é deslocar a vergonha. A única pessoa que precisa sentir vergonha é o abusador. Não a vítima.
  2. O perdão é opcional. Você pode se curar sem perdoar.
  3. Ninguém tem o direito de exigir que alguém perdoe atos terríveis de abuso planejado e intencional.
  4. Um abusador tampouco tem o direito de exigir o perdão da vítima.
  5. Perdão prematuro danifica o processo de cura.
  6. Ninguém pode exigir prazo para a cura muito menos para o perdão.

Baseado em Lilly Hope Lucario (www.healingfromcomplextraumaandptsd.com/)

 

Muitas pessoas arrotam suas opiniões sobre o perdão. Evocam a religião, e transformam a questão numa falsa abnegação e num falso moralismo. Evocam noções distorcidas de pecado.

Evocam interpretações próprias do perdão.

Confundem perdão com reconciliação e justificativa de atos injustificáveis.

Tanto o perdão como o não perdão são moralmente corretos.

O que não é correto é o abusador continuar impune e pronto para fazer de novo.

O que não é correto é envergonhar os sobreviventes de abuso por não estarem prontos para perdoar ou nem quererem perdoar.

O que não é correto é a falta de visão do que realmente ocorre com o sobrevivente.

O que não é correto é a falta de empatia com o sobrevivente, não com o abusador.

O que não é correto é essas pessoas acreditarem que têm o direito de envergonhar os sobreviventes de abuso.

A síndrome de estresse pós-traumático não é um nome de algo que está errado com você mas o que de errado aconteceu com você.

 

Envergonhar o sobrevivente de abuso é abusar do sobrevivente de novo agora por você, não pelo abusador inicial.

por Júlia Bárány


Atendimento Gratuito para vítima de trauma emocional 4

 

13418980_972787592842089_263209074883768773_n

Trauma emocional

Você ou alguém que conheça passou por alguma situação de medo ou trauma há mais de 6 meses e ainda se encontra emocionalmente abalado(a)? O Ambulatório de Ansiedade do IPq busca pessoas de 18 a 65 anos, que apresentem esse quadro (estresse pós-traumático), oferecendo tratamento psiquiátrico/psicológico, em projeto de pesquisa. Inscrições pelo e-mail: novasestrategias.ipq@hc.fm.usp.br

1920224_511948325592687_585861621_n

Endereço: R. Dr. Ovídio Pires de Campos, 785 – Cerqueira César, São Paulo – SP, 01060-970

SILENCIAR A VÍTIMA

ABUSADORES, MENTIROSOS, NARCISISTAS, PSICOPATAS, TODOS QUEREM SILENCIAR SUAS VÍTIMAS (transliteração por Júlia Bárány de Lilly Hope Lucario em www.healingromcomplextraumaandptsd.com)

vítima-da-mulher-p-s-para-silenciar-por-seu-noivo-51652770

É claro que eles o fazem porque não querem que a verdade venha à tona.

Isso vale para toda forma de abuso: mental, sexual, físico, psicológico, verbal, espiritual seja com adultos seja com crianças.

Os abusadores sabem que estão fazendo algo errado.

Eles escondem a conduta deles ou tentam silenciar você, porque eles SABEM que o que estão fazendo está errado.

No entanto, ninguém os forçou a isso, eles o fizeram por livre escolha própria.

E como é que eles manipulam este silêncio?

– ameaçando a vítima

– envergonhando a vítima

– mentindo sobre a vítima, inclusive por omissão, deixando que os outros acreditem em fatos não verdadeiros sobre a vítima

– gaslighting ou confundindo a vítima a ponto de ela não confiar em si mesma nem na sua capacidadade de perceber a realidade

– culpando a vítima

– chantageando (a família vai sofrer, por exemplo)

– difamando a vítima, desacreditando a vítima, reforçando falsas crenças sobre a vítima

– tornando a vítima bode expiatório.

– dizendo que a vítima está maluca

– alienando a vítima da família, do grupo de apoio

– evocando compaixão da vítima pelo abusador

– minimizando o abuso praticado contra a vítima

A lista continua. Cada um dos sobreviventes pode acrescentar algum item.

Nenhuma dessas táticas prova que o abusador está certo.

Nenhuma dessas táticas significa que a vítima tem que calar.

Nenhuma dessas táticas significa que a vítima é culpada.

Nenhuma dessas táticas obriga a vítima a sentir pena do abusador.

É MANIPULAÇÃO, beneficiando o abusador.

Porque o abusador que é o fraco, o vergonhoso, o culpado, o errado, o covarde, que não tem a capacidade ou a coragem de assumir quem realmente é.

É preciso de tempo, às vezes muito tempo, para processar tudo isso.

Mas é necessário, é parte indispensável da cura.