MÃES NARCISISTAS

 

MÃES NARCISISTAS – A REALIDADE DA VILANIA CLÁSSICA

Por Christine Hammond, tradução livre de Júlia Bárány

 

Você já se perguntou o torna a madrasta de Cinderela, a madrasta de Branca de Neve e a mãe adotiva de Rapunzel tão más? Essas são personagens vilãs clássicas de contos de fada exatamente porque seus instintos maternais são o oposto dos instintos naturais de uma mãe acolhedora. A madrasta da Cinderela, por exemplo, é uma progenitora narcisista que gosta de humilhar e negligencia e critica a filha depois que Cinderela sofreu o trauma de perder o pai. A madrasta de Branca de Neve é vilã também – uma progenitora narcisista e cruel, obcecada em comparar sua beleza com a beleza de sua filha, e ao descobrir que a filha é mais bonita traça um plano para matá-la. A mãe adotiva de Rapunzel é uma narcisista tipo helicóptero, que isolou a filha do mundo, mentiu a respeito no seu nascimento, exigiu lealdade, e insistiu em sempre estar com a razão.

 

Relacionamento Mãe/Filha

Essas histórias dão bons enredos de filmes, mas na vida real não são nada divertidas. As versões literais podem até combinar os três tipos de mães citadas acima. O impacto de uma mãe narcisista assim no seu filho é forte e traumático para ambos os gêneros, mas as filhas dessas mães sempre recebem o pior do impacto. Mães narcisistas competem com suas filhas por elas terem pele mais jovem, oportunidades melhores, e silhuetas mais magras. Mães acolhedoras, ao contrário, se entusiasmam com as possibilidades do futuro de suas filhas e procuram incentivar e nutrir um relacionamento saudável com elas.

 

Uma Narcisista Grávida

Uma mulher grávida recebe naturalmente muita atenção de amigos, familiares e até de estranhos. A própria gravidez traz sentimentos de esperança, expectativa e positividade para aqueles que testemunham uma parte dela. Isso alimenta instantaneamente o ego narcisista, abalado devido às mudanças físicas na aparência. No entanto, depois que o bebê nasce e a atenção se volta para a criança, a mãe narcisista fica com inveja do recém-nascido. Na tentativa de manter o controle da atenção, uma narcisista ou se afasta da criança ou gruda nela. Agora pode satisfazer sua necessidade de atenção, mas a criança já está sofrendo as consequências das atitudes da mãe.

 

Primeiro estágio de desenvolvimento

Segundo os Oito Estágios de Desenvolvimento Psicossocial de Erik Erikson, no primeiro estágio uma criança aprende a confiar ou não no seu cuidador. A confiança engendra esperança e fé numa criança ao passo que a falta de confiança cultiva suspeita e medo. Nas mãos de uma mãe narcisista neste estágio podem acontecer versões mais extremas de uma forma negativa de crescimento. A confiança se traduz em fixação na mãe e a falta de confiança se converte em paranoia ou pânico. Ambos casos incentivam o desenvolvimento da ansiedade numa criança que tenta inconscientemente manter ou ganhar amor da mãe.

 

Mãe Helicóptero

A mãe que engendra confiança exclusiva na criança é uma progenitora helicóptero. Aos olhos dos outros, esta mãe parece ser perfeita, dedicada, envolvida em todos os aspectos da vida da criança. No entanto, o que os outros não veem é que esta mãe não permite que a criança tome por si mesma a menor decisão e assim sequestra completamente o desenvolvimento crucial de autonomia e de iniciativa. A criança se transforma na extensão física da identidade da mãe e se torna incapaz de se separar como indivíduo. Em troca da sua dedicação e lealdade à criança, a mãe espera que a criança a adore, alimentando assim sua necessidade narcisista de admiração. Outros veem a “criança perfeita” e reverenciam a mãe por suas excelentes habilidades como educadora, mas deixam de ver completamente o preço que esta criança está pagando e a influência fatal no seu desenvolvimento.

 

Uma mãe narcisista geralmente produz um ou outro tipo de criança: a criança que se torna um adulto muito mais maduro do que sua idade, ou o adulto constantemente dependente dos outros para sua sobrevivência e que se sente com o direito de receber constante atenção dos outros. É triste que as duas variações vão exigir terapia por ter tido essa personalidade assustadora como mãe, mas a recuperação não é tão impossível como parece.

 

Original inglês em: https://pro.psychcentral.com/exhausted-woman/2018/07/narcissism-in-mothers-the-reality-of-the-classic-villainess/?utm_source=Psych+Central+Professional&utm_campaign=a22cabd984-PRO_B_EMAIL_CAMPAIGN_COPY_01&utm_medium=email&utm_term=0_7ef5d0b4f0-a22cabd984-30460681

 


NARCISISTAS NÃO CRIAM FILHOS por Júlia Bárány

NARCISISTAS NÃO CRIAM FILHOS: ISTO EXPLICA PORQUE VOCÊ ESTÁ TENDO TANTA DIFICULDADE

Por Júlia Bárány, baseado no texto de Sharine Stines, Psy.D:

 

Você está exausta além da conta com a criação de seus filhos. Criar filhos é uma tarefa difícil, mas quando você tem um parceiro colaborativo, juntos vocês conseguem. No entanto, quando o seu parceiro é um narcisista o quadro é totalmente diferente. (Usarei o genérico masculino, mas serve para homem e mulher)

É porque, na prática, você é uma mãe ou um pai solteiro. E não só isso, se você ainda está casada com o narcisista, ele é o filho que mais lhe dá trabalho, deixando-a num alto nível de estresse a maior parte do tempo.

Se você está tentando criar filhos junto com um narcisista, é melhor que você desista já. Repita comigo: “Eu sou um pai/mãe solteira.” Ou, “Ele não é um pai/mãe.” Mesmo que o narcisista seja o pai (mãe) biológico, ele não está interessado, nem é capaz de criar outro ser humano.

Examinemos este conceito. O que significa criar filhos? Para ser pai ou mãe é necessário ter as seguintes habilidades ou traços:

– Responsabilidade

– Auto-sacrifício

– Iniciativa

– Servir de modelo positivo

– Trabalho duro

– Consistência

– Estabilidade

– Paciência

– Perseverança

– Empatia e Compaixão

– Respeitabilidade

Convenhamos, um narcisista possui qualquer um desses traços?

Antes de tudo, aos narcisistas falta maturidade. Conforme mencionado acima, pessoas que estão casadas com um narcisista percebem que o seu cônjuge é o filho mais difícil que elas têm. Não só o seu parceiro é incapaz de criar filhos, como também ele precisa ser cuidado como um filho grande. E o fato é que, por mais que o cônjuge não narcisista tente, jamais conseguirá conduzi-lo à plena maturidade.

Perceba que quando você co-educa (a propósito, termo inadequado nesse contexto) com um narcisista, você está trabalhando junto com um adulto que não é suficientemente maduro para criar filhos. Se você entender isso, você estará melhor equipado para continuar. Viver na realidade é sempre melhor do que viver com a falsa crença de que a outra pessoa vai mudar.

Em vez de possuir traços que beneficiarão as crianças que precisam de educação, os narcisistas estacionam num nível inferior de desenvolvimento – frequentemente agindo como uma criança pequena. Isso os torna incapazes de educar filhos de forma responsável. De fato, muitos pais narcisistas competem com seus próprios filhos biológicos – uma das consequências negativas de se ter um progenitor narcisista.

O que você pode fazer se você é o não narcisista da dupla?

Resposta: Mude o seu diálogo interior.

Você pode mudar tudo repetindo mentalmente um simples mantra: “Eu sou o único progenitor que meus filhos têm.” Essa afirmação vai lhe poupar de desperdiçar anos de sua vida se frustrando. Tendo consciência dessa realidade, você se livra das seguintes armadilhas montadas quando o outro progenitor na vida de seus filhos é um narcisista:

  • Esperar anos, até décadas para que o outro progenitor assuma responsabilidade
  • Sentir-se constantemente frustrado/a com as ações e inações do outro progenitor
  • Acumular ressentimentos após incontáveis experiências de expectativas não realizadas

Ao aceitar que o narcisista na realidade não passa de uma criança subdesenvolvida e portadora de um distúrbio, de repente uma luz se acende e você percebe de fato com o que você esteve lidando há tanto tempo.

Depois que você se dá conta da situação, você consegue se ocupar com o resto de sua vida.

Tentar constantemente fazer com que o outro “veja” ou mude é no mínimo infrutífero. O pior é que a frustração diária leva a um infindável estado de estresse. Em vez de viver com este pesadelo, faça uma escolha consciente de aceitar seu papel único na vida de seus filhos, desfrute deste papel, e pare de malhar em ferro frio.

 

(https://pro.psychcentral.com/recovery-expert/2018/04/narcissists-do-not-parent-this-explains-why-you-are-having-such-a-hard-time/?relatedposts_hit=1&relatedposts_origin=6367&relatedposts_position=0#at_pco=tst-1.0&at_si=5b4658199a671f42&at_ab=per-2&at_pos=0&at_tot=2